Twitter

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

08 - Duvidas + Aviso + Divulgação



No outro dia acordei com um pouco de dor de cabeça, meu corpo tinha pequenas dores, era como se milhares de formigas estivem andando por ele e o ferroando. Havia dormido por cima das fotos e acho que de mau jeito, pois meu corpo reclamava intensamente. Levantei muito divagar, fui ao banheiro e olhei-me no espelho. Deplorável. Deplorável era o estado em que me encontrava. Há quanto tempo eu não via aquele reflexo?? Há quanto tempo eu não fazia o que fiz noite passada?? Muito tempo. Meu rosto estava inchado, meu nariz vermelho, meu cabelo estava um desastre e minhas velhas amigas, olheiras, marcavam intensamente em baixo dos meus olhos. Passei a mão no rosto e o molhei.
- é mais um dia Demetria! Tem que deixar de se importar com o passado! – falei para meu tenebroso reflexo.
Tomei meu banho relaxante, lembranças da noite passada me invadiram e eu sorri pensando no beijo de Joseph. Ele havia me beijado. Nós havíamos nos beijado. Isso era tão maravilhoso, o beijo de Joe era maravilhoso... Mas ainda tinha duvidas sobre o que aconteceria agora. Como agiria com ele depois de ontem? Fingiríamos que nada aconteceu?? Será que o beijo foi tão bom para ele quanto foi pra mim? Eu estava confusa sobre isso, sobre o que iria acontecer agora. Tinha também a hipótese de que eu conhecesse Taylor, de que ela poderia ser irmã de uma amiga, tudo isso me deixava confusa e maluca.
Quando sai do banho fiz o resto da minha higiene matinal. Arrumei-me rapidamente, pois Selena iria me buscar, ainda estava sem carro, fiz um rápido e froucho rabo de cavalo, pus uma roupa que me deixasse confortável, pois algo me dizia que o dia iria ser longo e passei maquiagem, para disfarçar as olheiras e a expressão de choro. Logo depois fui pra cozinha e pequeia apenas uma maçã, então mandei uma mensagem para Selena. Como já era de abito, fui para a varanda, era um bom lugar para olhar a casa de Joseph e aquilo me agradava. Fique imaginado o que ele estaria fazendo. Será que era um tenebroso café da manhã? Ou estava se arrumando para o trabalho?? Arrumando Sam, talvez?... Eu realmente estava curiosa. Fiquei pensando na hipótese de que Joseph estava fazendo mais uma das suas comidas horríveis e fiquei com dó de Sam... Oh, Sam, essa garotinha não me saia da cabeça, assim como seu pai. Eu gostava de cuida dela, de vê-la sorri, de quando estava feliz e dava pulinhos, também gostava de quando fazia bico, para mostra que estava com raiva. Mas gosta principalmente do rostinho que fazia quando comia a minha comida. Foi pensando assim que decidi que iria à casa de Joseph.
Toquei a campainha e Joseph me atendeu. Ele usava uma camisa social de linho branco, os três primeiros botões estavam abertos e as mangas dobradas ate o cotovelo, o que o deixava muito sexy. Vestia uma calça cinza, com certeza era de um conjunto de terno. Os cabelos estavam molhados e bagunçados, o que me deu vontade de beija-lo, queria sentir a textura do cabelo molhado e o sabor da boca daquele homem.
- Demi? – olhou-me surpreso. Será que não deveria ter ido?
- olá! – disse tímida.
- eh... Quer entra?? – eu acho que ele não sabia exatamente o que falar. Mas me deu espaço para entra e assim o fiz.
- Bom dia Joe! – disse timidamente.
- Bom dia, a que devo a honra da sua visita tão cedo?? – ele cruzou os braços, tencionando do bíceps.
- deixe de coisa Joseph! – bati levemente em seu ombro – vim saber se você estava intoxicando a sua filha com aquelas gororobas que faz!
- ele me olhou indignado – Bom, eu ainda não pensei em nada, mas compraria pão lá em Sr. Manoel, queijo e bacon.
- Joe, só sabe comer bacon??
- não... – ele fez uma cara pensativa, aposto que de 10 coisas que ele comia 20 era bacon – mas eu gosto tá?? Mas em que você estava pensando??
- em um belo café da manhã com suco, frutas, pão, sem bacon e muito gostoso. – ele fez uma careta estranha quando falei “sem bacon”.
- e quem vai fazer??
- a mestre cuca aqui sou eu, então vá comprar o pão e o queijo. O resto deixe comigo.
- mas você não tem que...
- o que ainda está fazendo aqui?? – perguntei enquanto procurava frutas pela cozinha.
- ok!
Apenas escutei o bater da porta e não pude evitar o sorriso bobo, ele era realmente o homem dos sonhos de qualquer mulher, principalmente vestido daquele jeito extremamente sexy. Minha vontade era beija-lo, mas eu tinha que me controlar.
- Demi? – era Sam, ela estava com uma blusinha branca, um short de malha amarelo e um lindo sapato do bob-esponja. Suponho que seja a farda da escolinha. Tinha os cabelos preços em um rabo de cavalo, muito bem feito por sinal.
- oi pequena. – eu sorri – bom dia!!
- bom dia, cadê meu pai??
- foi comprar pão. – agachei-me na sua frente. – quer me ajudar a fazer o café?? – perguntei alisando sua bochechinha rosada. Cada fez que olhava para Sam lembrava-me de uma boneca de porcelana.
- quelo! – eu a pequei no colo, enquanto ela sorria lindamente e beijou minha bochecha.
Nós bagunçamos toda a cozinha, mas o café ficou delicioso. Fizemos suco de maracujá, segundo Sam, Joseph adorava esse suco, tinha panquecas, cortamos maçãs, fizermos biscoitos e um soco de laranja, Sam não gosta muito de maracujá.
- maracujá me dá sono. – falou quando a coloquei na cadeira.
- então seu pai deveria fazer a noite para você.
- ele faz... – ela cruzou os braços, fez bico e inchou as narinas, um nítido sinal de raiva, mas muito fofo – por isso que não gosto, sempre que quero ver bob-esponja ele vem com...
- olá.  – Joseph entrou na cozinha trazendo duas sacolas, onde tinha leite, pão, queijo e mais algumas coisas que não conseguia identificar. – Nossa! Mesa linda essa que vocês fizeram. Aprontaram tudo isso enquanto estava no Sr. Manoel??
- sim. – Sam disse sorridente, pulou da cadeira e correu pra os braços do pai, que largou as sacolas e a pegou no colo. Era nítido o quanto eles se amavam, o quanto Sam era dependente de Joseph e o quanto o mesmo era dependente incondicional da filha. – A Demi fez um monte de coisa gostosa e disse que gosta de cozinhar pla mim. Ela podia vim aqui todo dia né??
Joseph me olhou, soltou um pequeno sorriso e me estendeu a mão. Eu não entendia direito o que ele queria ou pretendia fazer, mas lhe dei a mão. O mesmo me puxou colocando o braço por cima dos meus ombros. Ele deu-me um abraço muito delicioso, um dos melhores que já recebi, devo ressaltar. Eu pus a mão em sua cintura, retribuindo o abraço. Quem olhasse a cena poderia dizer que nós éramos uma linda família. Um fato que estranhamente me agradava.
- obrigado! – ele me apertou um pouco mais e beijou minha testa. – obrigado por cuidar dela. – Joe olhou para os olhos da sua filha e sorriu docemente e a mesma retribuiu.
- não é nada. Eu gosto de cuidar dela.
- eu também gosto de você Demi. – Sam sorriu largamente, alisou meu rosto, sua mão era tão pequena e delicada, depois beijou minha bochecha.
- eu também gosto de você. – alisei sua bochecha com o polegar. – que tal agente comer??
Sam sorriu e Joseph me olhava de um modo profundo. Eu sentia uma felicidade por saber que Sam gostava de mim, isso me alegrava muito.
Nós tomamos café entre muitos risos e elogios á minha comida. Aquela situação me fazia imaginar como seria se nós fôssemos uma família, mas eram apena ilusões bobas... E se a mãe de Sam voltasse?? E se eu conhecesse mesmo essa mulher?? Estava tudo muito confuso em minha cabeça. Sam estava tão linda, radiante, feliz, sua gargalhada era perfeita, ela ficava vermelha quando Joseph contava uma piada sem graça, pois ria sem para.
- querida vá escovar os dentes – falou Joseph para Sam, tirando seu prato junto com o dela.
- ta bom! – ela levantou e subiu as escadas correndo.
Levantei-me para colocar meu prato na pia. Quando ligue a torneira, com a intenção de lavar a louça, senti um calor em volta da minha cintura, me prendendo entre a pia e o corpo forte de Joseph.
- não precisa fazer isso! – a voz rouca e doce de Joseph sussurrou ao pé do meu ouvido. Depois um arrepio, causado por uma leve mordida, correu meu corpo.
- Joe... – as palavras me faltavam, pois meus sentidos estavam perdidos. Joseph mordia, beijava e sugava meu pescoço. Suas mãos estavam pressionando nossos corpos. Meus olhos e braços pareciam não me obedecer, pois enquanto meus olhos reviravam minhas mãos apertavam os braços que estavam eu minha cintura. Logo os beijos ficaram mais fogosos e juntos com eles as mãos, pois uma estava em minha coxa e a outra no contorno dos meus seios. Minha cabeça estava relaxada em seu ombro, dando assim mais acesso ao meu pescoço. – Sam... ela pode...
- shiiii... obrigado. Obrigado por está me ajudando com Sam, por ter me escutado noite passada e, principalmente, pelo beijo. – sua voz estava rouca, estava sexy e aquilo vez um fogo surgir no meio das minhas pernas. Joseph virou-me, deixando nossos corpos mais próximos, seu peito largo forçava contra meus seios, causando uma sensação maravilhosa. A mão que estava, quase, no meu seio foi para a minha nuca, puxando levemente meu rosto, deixando assim nossas bocas mais próximas, sua respiração tinha um cheiro bom, diferente e doce, não sabia dizer ao certo o que era. A mão em minha coxa subiu para minhas costas, apertando mais ainda nossos troncos. Seu olhar intenso se dividia entre minha boca e meus olhos. – sabia que ainda posso sentir o sabor da sua boca?? – ele sussurrou enquanto rosava nossos lábios. – quero tanto beija-la de novo.
- Joe... – era tudo que conseguia dizer sem muitas dificuldades.
Ele não esperou que continuasse e beijou-me. MEU DEUS!! Os beijos de Joseph eram os melhores! Ele encostou nossos lábios e pediu passagem com a língua, quando o senti invadir minha boca meu coração bombeou sangue para todo o meu corpo, minhas pernas ficaram dormentes, minha mente parecia está em um sono profundo, minhas mãos estavam gélidas, meu estomago dava voltas. As sensações eram perfeitas com ele.
O beijo era lento, sexy, prazeroso. Era como se nossas línguas dançassem um sexy e maravilhoso tango, ou seria bolero? Não sei, sei apenas que era sexy. O beijo deixou todo o meu corpo dormente, mas por onde suas mãos grandes passavam parecia aceder um intenso fogo. As sensações eram controversas com Joseph. Minhas mãos suavam, mas eram gélidas. Meu estomago girava, mas era uma ótima sensação. Minhas pernas pareciam não ter forças, mas estavam em pé. Meu coração batia forte, mas estava calmo, como a muito não estava. Nos braços, nos beijos e na presença de Joseph sentia a paz e a calma que me foram tiradas.
-hm... – ele separou o beijo com selinhos – seu beijo é tão bom.
- Joe... não podemos fazer isso... – ele beijava minha clavícula indo para boca. – se Sam...
- ela vai adorar. – ele pareceu adivinhar meus pensamentos. – ela gosta de vocês. Somos solteiros, o que nos impede??
- é melhor não, ela pode ficar confusa. – a quem eu estava querendo encanar?? Era logico que eu queria beija-lo, mas estava acontecendo tudo muito rápido. Minha respiração entrecortada batia no pescoço de Joseph, acho que por isso apertou-me mais estre seus braços.
- eu quero tanto beija-la de novo. Eu faço questão de deixar tudo muito claro para Sam... sabia que seu beijo tem gosto de morango?? E que tem os lábios mais macios?? – a mão, que estava em minha nuca, escorregou pra minha bochecha. Lá ele fez carinho na mesma com o polegar, fazendo com que eu fechasse meus olhos. Senti sua testa colada a minha e novamente o hálito, com um cheiro diferente, bateu em minha boca.
Eu sabia o que ele queria. Queria que eu o beijasse. Queria saber se eu o desejava tanto quanto ele me desejava. Mas eu não sabia se queria me envolver com esse homem. Não sabia nada sobre ele... não conseguia pensar direito, pois o som do meu coração estava muito alto em minha mente.
- me beije.
- estou confusa...
- deixe toda a confusão para depois e apenas me beije querida! – seu tom de voz era tão convicto, tão rouco, tão sexy e tão soberano.
Como eu queria beija-lo! Deixe essa vontade tomar conta de mim e o beijei. Beijei como se fosse a ultima coisa que iria fazer. Beijei como se precisasse compartilhar o mesmo ar que o dele, como se precisasse do beijo para respirar. Os beijos de Joseph eram os melhores. Ele apertava-me contra seu corpo, suas grandes mãos vagavam pela lateram do meu corpo, passando pelo meu quadril, cintura e peitos.
-oh... – um pequeno gemido roco saiu da minha garganta quando ele apertou meu traseiro. Minhas mãos passavam por seus cabelos e ombros, quando senti outro puxão cravei minhas unhas em seus ombros e um pequeno gemido saiu da boca de Joseph.
- papai...
Agente se separou rapidamente ao ouvir a voz de Sam nas escadas.
- oi... – Joseph falou ainda um pouco atordoado.
- o que vocês estavam fazendo? – a pequena perguntou assim que entrou na cozinha e nos, viu descompensados e tinha uma sobrancelha erguida.
- nada de mais querida. – Joseph abaixou e pegou-a no colo.
- vocês estão suspirando e com a boca vermelha... o que fizeram?? – ela agora cruzou os bracinhos e fez beicinho como se dissesse “eu quero saber agora”
- hm... ele estava me ajudando a... a... a...
- a tirar um cisto. – ele me ajudou quando percebeu que não sabia o que dizer.
- um cito na boca dela?? – ela perguntou com uma expressão de deboche, como se soubesse exatamente o que tinha acontecido.
- é... é... é que eu estava com a boca ardendo e o seu pai estava sobrando pra passar. – eu já disse que sou péssima mentindo?? Pois é, EU sou! Joseph segurou o riso quando ouviu a minha ridícula historia, acho que até a própria Sam não acreditou.
- ok né... – ela olhou desconfiada para mim. Devo dizer que ela é muito inteligente para uma criança de três anos. – papai eu to pronta. Vamos?
- vamos. – ele a pôs no chão e pegou sua mão. – e você vai com sua amiga??
- vou, mas ela ainda não chegou...
- porque não vai com agente?? – ele olhou pra Sam e a mesma revidou com um olhar cumplice.
- não quero incomodar. – falei sem jeito.
- Não incomoda. Ligue para sua amiga e diga que vai comigo.
- Joe...
- Não aceito “não” como resposta. – Falou enquanto estava encostado na porta aberta do carro. O que o deixa mais sexy era a sobrancelha erguida e o lindo sorriso torto.
Olhei dele para Sam, que estava sentada na sua cadeirinha, olhei para o final da rua, para ver o se o carro rosa de Selena aparecia e nada... então pensei: “que mal faria? É apenas uma carona” e assim entrei no carro de Joseph.
Mandei uma mensagem para Selena dizendo que não precisaria da carona hoje.
Durante o caminho Sam dizia que seria maravilhoso caso sua mãe estivesse ali, caso pudesse ter uma mãe. Eu não queria pensar naquilo, não queria pensar que poderia conhecer a mãe daquela pequena, não queria que ela voltasse, não queria que Samantha contasse com outra pessoa para organizar suas festas, não queria que Joseph voltasse com a mãe de Sam... Isso era tão ridículo e egoísta! A menina tinha o direito de ter uma família, mas algo, uma coisa muito, muito, muito estranha se passava dentro de mim. Talvez não fosse tão estranha, talvez fosse um velho sentimento e agora tinha a chance de ser levado adiante. Eu queria que tanto Joseph quanto Samantha precisassem apenas e unicamente de mim.
- não é Demi?? – a foz doce de Sam me fez sair dos meus pensamentos.
- hã?
- não seria ótimo se você e o papai ficassem juntos??
Aquela pergunta havia me pegado de surpresa. Mas pegue-me pensando em como seria se eu e ele realmente ficássemos juntos. Pensei em como seria acordar ao lado dele, como seria chama-lo de amor, fazer café da manhã todos os dias, como seria nas noites frias, mas era apenas imaginação.
Olhei pra Joseph pedindo ajuda, pedindo para que ele dissesse algo, mas ele tinha um sorriso cínico que dizia “se fira”.
- hã... não sei, acho que sim...
- sim, seria maravilhoso! – Joseph falou enquanto me olhava. Eu preciso dizer que ele tinha um sorriso cínico?? O que o fazia ficar extremamente sexy.
***
Estávamos parados na frente de uma grande construção. Era um prédio branco, com detalhes azuis, estilo anos 60. Tinha varias janelas cujas bordas eram azuis bebe. Muito lindo. No meio do pátio tinha uma fonte, onde era cercada por flores e um belo jardim. E nas laterais do pátio tinha bancos também brancos. Na frente da escola tinha uma senhora de olhos escuros, que pareciam dois diamantes negros, o cabelo preto com alguns fios grisalhos estava preso em um coque bem feito, um vestido marrom cobria todo seu corpo até o joelho. A mulher parecia ter saído de um filme, ela parecia uma daquelas bruxas de contos de fadas. Mas isso parecia não ter importância para as crianças, pois todas que chegavam a abraçavam e depois entravam felizes na escola... Isso não foi diferente com Sam. Ela pulou do carro, deu um abraço na mulher e um beijo na bochecha, depois a bruxa olhou para o carro e sorriu para Joseph, que respondeu o comprimento com um aceno de cabeça, depois o olhar dela se direcionou para mim, me olhou confusa, mas depois sorriu e eu retribui com um aceno. Joseph logo deu partida no carro.
- é a Senhora Benson.
- como?
- aquela mulher é a senhora Benson. Ela é diretora da escola, conhece Sam desde que nasceu.
- hm...
Depois da nossa breve conversa, senti a mão de Joseph em minha coxa fazendo carinho. Olhei para ele que estava dirigindo, ele era tão lindo, tão perfeito. Estava mais lindo porque tinha um pequeno sorriso no canto da boca.
- eu estava pensado se você sairia comigo esse Domingo. – ele não me fitava, mas como sempre, sua voz soava firme e soberana, era impossível dizer não a Joseph.
- esse Domingo?? Eu não sei...
- porque não?? Você merece uma folga do trabalho.
- eu sei... mas acabamos de abrir... estamos esperando que o Domingo seja corrido.
- vamos fazer assim: eu busco você as oito, você não deve ser a única cozinheira no restaurante.
- não sou, mas sou a chef.
- vamos Demi, com certeza todos os seus funcionários sabem de có todas as receitas e Selena estará lá.
- e a Sam? – ele sorriu percebendo que eu estava cedendo.
- vai passar o final de semana com a minha mãe, só volta depois da escola. Vamos, não há motivos para dizer não. – ele fitou-me rapidamente. Depois senti um leve aperto em minha coxa, fazendo uma onda de calor surgir pelo meu corpo.
- acho que posso.
- ótimo, te pego as oito. Mas você disse que é brasileira, me fale sobre lá.
- ahh o pais é lindo. Tem paisagens lindas, tem gente feliz, trabalhadora. Mas o melhor de tudo é o carnaval.
- já ouvi falar, Taylor, um amigo meu que já foi no Brasil, disse que o carnaval é muito animado, que o Brasil produz as mais lindas mulheres.
- ele deve ter conhecido as passistas, elas são lindas.
- e você sabe sambar??
- logico, eu amo sambar, pena que aqui não escuto muito samba.
Logo estávamos na frente do restaurante.
- obrigada pela carona. – e antes que eu pudesse abri a porta, Joseph segurou minha mão.
- não esta se esquecendo de nada? – ele tinha a sobrancelha erguida.
- não? – falei com um cara de duvida, depois senti meu corpo contra o dele e sua mão em minha nuca.
- meu beijo.  – ele puxou mais minha nuca, fazendo com que nossos lábios se grudassem. O beijo foi perfeito,.
- não devia ter feito isso. – estávamos com as testas coladas.
- porque não??
- estamos na frente do restaurante.
- é normal um homem beijar uma mulher.
- não quando eles não têm nada.
- mas isso pode mudar. – ele me fitou com um olhar sugestivo. O que ele estava querendo dizer?? Que pretendia ter algo a mais comigo?
- é melhor eu ir.
- tudo bem. Vai lá em casa hoje né?
- sim, temos que fazer os doces.
- ok – me puxou novamente e me beijou – tchau.
- tchau.
Eu entrei no restaurante saltitante. A manhã mal tinha começado e estava tudo maravilhoso.
- bom dia Demi!! Pelo visto a noite deve ter sido boa.
#Joe On##
- definitivamente aquela mulher mexe comigo. Meu Deus!! Os beijos são maravilhosos e corpo dela, ela é muito hot!! Ela é linda, cheirosa, alegre... Cara ela é quase perfeita. – eu rodava na minha cadeira giratória, como se fosse um adolescente que tinha acabo de falar com a menina por quem era apaixonado pelo facebook. Estava conversando com Nicholas, assim que cheguei mandei chama-lo.
- por que quase??
- eu não sei... eu não sei nada sobre ela. Ela parece quere algo serio, mas eu creio que não comigo.
- ela só deve estar confusa, afinal vocês acabaram de se conhecer, se beijaram, você contou a historia de Sam, e pelo que me disse, ela também parece ter uma historia forte e você agora a chama pra sair.
- talvez seja isso, mas eu creio que não. Ela parece ter medo de que tenhamos algo a mais, como se ela... eu não sei direito. Mas talvez ela queira um homem descomprometido, sem filho...
- deixe de ser ridículo Joseph! Sam é adorável e quem perderia era ela. Perderia a chance de ter uma linda família ao seu lado.
- talvez você esteja certo. Mas agora vamos trabalhar.
Demetria sem roupa. Demetria sorrindo. Demetria ofegante. Demetria cozinheira. Demetria gotosa. Demetria hot. Maldita Demetria que não saia da minha cabeça. O beijo, o sorriso, o perfume, o jeito, tudo estava em minha cabeça. Não conseguia me concentrar direito. Queria tanto aquela mulher!! Por Deus!! Ela era tudo que queria naquele momento. Mas ela não parecia quere o mesmo que eu... Parecia não quere ter algo serio comigo. Será que não era tão bom assim para ela? Será que não queria ter a responsabilidade de namorar um pai solteiro? Será que já tinha outro?? Eu não sabia de nada, não sabia quem era ela... Mas queria. Era o que mais queria saber... Quem era Demetria Lovato. O motivo da sua raiva e tristeza na noite passada. Mas por agora era melhor deixar como estava e o que fosse para acontecer aconteceria.
Continua...

Hey amoras, estava com saudades de vocês *--* Desculpa a demora, mas esse cap ta gigantesco
><... Bom eu queria só me desculpar e dizer que eu to escrevendo o proximo capitulo :( Juro que dessa vez vou tentar ser mais rapida... é porque me dá preguiça de digitar, mas eu vou ser rapida e postar, eu prometo :)
Ahhhhhhhhhhhh eu to tão feliz :DDDD Tenho 80 seguidores :) Sejam bem vindassss espero que gostem da fic e comente :) Gerls é só isso e por próximo eu quero 5 comentes ok??

Divulgação ....
Meu Jeito de Amar  esse é da diva da Bia 
Entrem meninas, eu não li, porque to meio que sem usar a net, mas parece ser muito bom. eu li a sinopse. :))

Não esqueçam Amoras Roxas 5 coments para o próximo :)

10 comentários:

  1. Caraa, eu sou completamente louca pela sua história. De verdade. AMEI o capítulo! Mal posso esperar pra Demi se deixar levar e ficar com o Joe! ahahahha! POSTA LOGO! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Owt obrigada *--*
      é bom saber que vocês gostam, cara eu só acho super dificil ela se deixar levar ¬¬
      kkk beiijinhos :*

      Excluir
  2. anwwww, poooosta logo <3
    ta lindo demais, demi e joe tem que conversar e exporem seus pensamentos, pra poderem se resolver u.u Ta muito lindo mesmo, amando essa fic, poosta logoo, pleease :3
    Beeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhhhhhhhhh obriagada :DDD
      Cara Demi é mto complicada, eu fiz ela mto tensa kkkkk
      Que bom que ta gostando, só não para de ler u.u
      Beiijinhos :*

      Excluir
  3. Respostas
    1. Obrigada :DDDD
      Desculpa a demora :/
      Beiijinhos :*

      Excluir
  4. AMEIIIIIIIIIII O CAPITULO !!! MUITO BOM ^^


    POSSSSSSTA LOGOOO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
      desculpa a demora :/
      beiijinhos :*

      Excluir
  5. Amei
    Posta Logo

    Nova seguidora
    Posta Logo
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieeeeee SEJA BEM VINDAAAAAAAAAAAAA *------*
      Desculpa a demora :/
      Beiijinhos :*

      Excluir